DIOGO NOGUEIRA “MUNDUÊ”

      

 

Diogo Nogueira lança o álbum “Munduê”, seu primeiro projeto inteiramente autoral.

VIDA QUE SEGUE...

Com este disco do Diogo Nogueira, o Samba recebe uma injeção de sangue novo.

MUNDUÊ... Vocábulo não dicionarizado, é título do álbum e nome de um samba que dá água na boca, criado em parceria com Bruno Barreto e Hamilton de Holanda.

Ê munduê!... Expressão indefinida que remete à ancestralidade negra, híbrida como o Diogo, que se apresenta por inteiro dez anos após o seu primeiro álbum.

Este é o quinto disco de estúdio, mas, na essência, é o seu primeiro de puro samba, cem por cento autoral com novas parcerias e completamente inédito.

Dona Ivone Lara deve estar feliz por ter contribuído com seu talento de compositora e o Wilson das Neves deve estar rindo lá em cima com o Império Serrano sendo homenageado junto com a Portela.

Candeia, em um plano mais alto, creio que aplaudiria como o Monarco, de pés na terra.

Eu, cá na Vila, bato palmas e digo: vá em frente menino!

Agora, se alguém perguntar quem é o Diogo, não preciso responder que é o filho do João Nogueira. Afirmo com segurança:  É um belo cantor, com personalidade própria. Um artista verdadeiro. Um elo na corrente da perpetuação do samba. MARTINHO DA VILA

Assim se passaram dez anos... E Diogo Nogueira deixou de ser uma promessa para se tornar um de nossos maiores sambistas. Honrou seu DNA, herdado de uma das figuras mais queridas e emblemáticas do samba, João Nogueira, e prosseguiu numa militância diferente. Se o pai era intelectual e ativista, criando até o Clube do Samba num momento de invasão de músicas gringas nas rádios (os anos 70), Diogo tem feito agora a sua parte. Levou adiante o bastão do gênero sempre buscando se integrar aos novos, sem abandonar a velha guarda ou ceder aos modismos puramente comerciais.

Inicialmente, promoveu alguns sucessos que conheceu no berço. A seguir, chamou a atenção de Chico Buarque, que lhe deu uma canção inédita (“Sou eu”), gravou um DVD de clássicos do samba numa viagem a Cuba, promoveu encontros de gerações em seu programa da TV Brasil (“Samba na Gamboa”), protagonizou um musical elogiado e emocionante sobre o centenário do samba (“Sambra”), fez uma tabelinha com o bandolinista Hamilton de Holanda que resultou no aclamado disco “Bossa negra”, no meio disso tudo conquistou dois prêmios Grammy, e agora chega ao final de sua primeira década de carreira comemorando de maneira inesperada: com um álbum inteiramente autoral, “Munduê”.

Mas isso não é nenhuma ‘forçação’ de barra. Para quem não sabe, Diogo já emplacou quatro sambas-enredo na sua escola, a Portela, em carnavais consecutivos, sempre consagrados com notas dez dos jurados. E já havia gravado algumas canções autorais desde o primeiro trabalho. Agora, porém, sentiu que era o momento de radicalizar e criar um álbum completo dedicado às suas próprias composições, quase todas, sambas. O clima é de antiestresse. Diogo encarna um padrão de novo homem no samba. Sem o machismo de antes, aquele que quer somar com a mulher amada e reconquistá-la, se for o caso, sem para isso achincalhá-la. E nessa linha positiva, quer também melhorar o país e o mundo com seu som, incluindo mensagens para energizar nosso espírito em tempos tão tenebrosos.

Classificação Etária: 12 anos.

 

Duração prevista:  1h30

 

Ponto de venda sem taxa de conveniência:

Bilheteria do Theatro Pedro II, sede Rua Álvares Cabral, 370, Centro, Ribeirão Preto|SP.

- de 3ª a 6ª feira: das 10h às 19h ou até o início do espetáculo.

- sábados: das 14h até o início do espetáculo. Quando não houver espetáculo no dia de sábado, o horário será das 10h às 14h.

- domingos e feriados em que há espetáculos: das 14h até o início do espetáculo.

- domingos e feriados sem espetáculo: bilheteria fechada.

Os ingressos para PNE devem ser adquiridos diretamente na bilheteria.

 

Meia Entrada: Estudantes, Pessoa com deficiência e um acompanhante, Idosos (pessoas com mais de 60 anos), diretores, coordenadores pedagógicos, supervisores e titulares de cargos do quadro de apoio das escolas das redes estadual e municipais, professores da rede pública estadual e das redes municipais de ensino.

Informações importantes:
Não será permita a entrada após o início do espetáculo, não havendo troca de ingresso e nem devolução do dinheiro.

Confira seu ingresso (data, local, horário e lugar escolhido) e troco no ato da compra. Trocas ou devoluções posteriores não serão efetuadas.

Para melhor conservação do Theatro Pedro II é proibido o consumo de bebidas e alimentos dentro das salas de espetáculos.

Para sua comodidade, chegue 30 minutos antes do horário marcado em seu ingresso. 

Ingressos

Ingressos: 1º Lote

Plateia e frisa: R$ 140 inteira e R$ 70 meia entrada 

Balcão Nobre: R$ 130 inteira e R$ 65 meia entrada

Balcão Simples: R$ 120 inteira e R$ 60 meia entrada

Galeria R$ 100 inteira e R$ 50 meia entrada

2º Lote | Na Porta:

Plateia e frisa: R$ 160 inteira e R$ 80 meia entrada 

Balcão Nobre: R$ 150 inteira e R$ 75 meia entrada

Balcão Simples: R$ 140 inteira e R$ 70 meia entrada

Galeria R$ 120 inteira e R$ 60 meia entrada

Comprar

Data: 07/07/2018
Horário: 21:00

Local: Theatro Pedro II

Classificação: 12 anos de idade

DIOGO NOGUEIRA “MUNDUÊ”